Projetando Felicidade: O pêndulo Prazer-Propósito

Projetando Felicidade: O pêndulo Prazer-Propósito

Tradução J. Filardo
“O que eu desejo para meus netos” – Daniel Kahneman

A maioria dos livros sobre a felicidade decepciona.

Uma exceção rara é Felicidade por projeto, um pequeno volume publicado por Paul Dolan, professor de Ciência do Comportamento na London School of Economics.  O vencedor do Nobel e autor de best-sellers, Daniel Kahneman o chama de “ousado e original”. Mas o que, exatamente, é ousado e original nele?

Experiências ou Avaliações?
Tradicionalmente, muitas vezes medimos a felicidade perguntando às pessoas como elas estão satisfeitas com suas vidas.
Isso parece justo, mas há um problema. Não podemos confiar em nossas lembranças.
Quando eu reflito sobre o quão feliz eu fui, eu estou avaliando - eu relembro uma imagem do passado e a processo. Mas a psicologia nos diz que minha avaliação é muito, muito diferente de minha experiência - a vida como eu a vivo de momento a momento.
Há uma série de vieses cognitivos - efeito de pico final, viés egocêntrico, efeito de positividade, viés de mudança, etc. – que nos fazem lembrar diferentemente de como nós experimentamos.
Isso significa que (no pior caso), apesar de viver miseravelmente por 20 anos, podemos então avaliar experiências passadas como felizes.
Um exemplo clássico é a esposa que é abusada pelo marido. Sua família a incentiva a se divorciar. “Mas ele não consegue viver sozinho “, diz ela. “E ele precisa de mim”.
Claro, os espancamentos e o abuso verbal eram ruins, mas não eram tão ruins. Em vez do divórcio, ela fica com ele por mais uma década.
Então, essa é a primeira jogada ousada e original que Dolan faz  - ele nos afasta da felicidade como avaliação para a felicidade como experiência.
Agora, vamos para a segunda.

Muito Além do Prazer
Por milhares de anos, filósofos como Aristóteles e Anaximandro debateram o que significa viver uma boa vida.
Alguns dizem que a boa vida é composta por atividades que são agradáveis e geram sentimentos positivos: ler contos de ficção científica (especialmente Ken Liu), beber sopa miso (vermelha, não branca), caminhadas em jardins zen e comer com bons amigos.
Outros argumentam que a boa vida inclui atividades que são menos sobre o prazer e mais sobre o propósito – coisas como entregar mosquiteiros a crianças, noites sem dormir no pronto-socorro (encontrei um cirurgião no Japão que dormiu 3 horas por noite, sem férias, por 4 anos), e, o mais importante, terminar este maldito artigo.
Dolan argumenta que nenhuma definição de felicidade é completa sem esse último - o propósito ou objetivo:
“No entanto, há outra categoria importante de sentimentos que são importantes para você, e são os sentimentos de propósito falta de propósito que você sente. … Esses sentimentos afetam sua felicidade de maneiras que devem ser devidamente consideradas. Você só precisa pensar em trabalhar ou estudar para saber que essas atividades podem fazê-lo sentir-se bastante cheio de propósito parte do tempoe bastante inútil em outras ocasiões. Esses sentimentos bons e maus são importantes para vocês tanto quanto sentimentos de prazer e dor “.
Mais uma vez, isso é objetivo como experiência. Importa menos o que você pensa em seu leito de morte (uma avaliação) e mais como parecem as atividades com propósito, momento a momento, ao longo de sua vida.
Este equilíbrio entre prazer e objetivo é capturado pelo que Dolan chama de princípio do prazer-propósito (objetivo):
“Para ser verdadeiramente feliz, então, você precisa tanto de prazer quanto de objetivo. Você pode ficar tão feliz ou triste quanto eu estou, mas com diferentes combinações de prazer e objetivo. E você pode exigir cada um deles em diferentes graus em diferentes momentos. Mas você precisa sentir os dois. Eu chamo isso de princípio de prazer-propósitoo PPP”
Certas atividades, tais como assistir televisão e comer são altas em prazer, mas baixas em propósito. Outras, como o trabalho (para a maioria das pessoas) são baixas em prazer, mas altas em propósito.
E algumas atividades, como o voluntariado e o tempo gasto com seus filhos, parecem ser altas em ambos os casos.
Agora, alguns conselhos práticos.

Balance, Balance
O livro de Dolan mudou a forma como eu penso sobre felicidade.
Há muito para cobrir aqui, então deixe-me compartilhar uma última percepção.
Em economia, há um termo chamado retornos marginais decrescentes. Quanto mais conseguimos de algo, menos valor ele tem. Seu segundo Lamborghini Aventador é menos valioso que o primeiro. Seu segundo Big Mac (picles extras) não é tão bom quanto o primeiro. Sua segunda,….
Você entendeu.
Os mesmos retornos decrescentes, argumenta Dolan, aplicam-se ao prazer e ao propósito.
“… se você tiver muito mais prazer em sua vida do que propósito, então você deveria passar um pouco mais de tempo fazendo algo com algum objetivo. E igualmente, se você tem muito mais propósito do que prazer, então você deve passar mais tempo dedicando-se ao prazer. Esta afirmação é baseada na lei de retornos marginais decrescentes (em nosso caso, à felicidade) … “
Visualmente, podemos imaginar um pêndulo que balança entre dois tipos de atividades:
Se você se encontra vivendo um estilo de vida voltado para o prazer, ou hedonista, pense em cancelar seu próximo coquetel e fazer algo mais cheio de objetivo - talvez ser voluntário no abrigo de animais local por uma tarde.
E, se você é um daqueles tipos como eu que quer um propósito ou objetivo para tudo, talvez descansar um pouco para comer a refeição fora de hora ocasional ou assistir filmes estúpidos com sua namorada.
Permita-me terminar com uma citação de Daniel Kahneman, com quem concordo de todo o coração:
“[O princípio do prazer-propósito de Dolan] é uma boa descrição do que desejo aos meus netos: uma vida rica em atividades que sejam ao mesmo tempo agradáveis e significativas”.


Site da informação gentilmente cedida por: https://bibliot3ca.com



| NEWS | MYFRATERNITY | MAÇONARIA | MASONIC PRESS AGENCY |

|| www.myfraternity.org ||

Veja o canal informativo oficial em www.myfraternity.org | A Equipa,

Literatura Maçónica: - Introdução à Maçonaria Regular com Dedicatória a Álvaro Carva (1993). Dedicatória realizada pelo Grão-Mestre Fernando Teixeira

50 anos de Maçonaria | Parabéns, Reg Walker

Gilberto Lima da Silva, Presidente da COMAB esteve presente na CMSB, Brasil

CULTURA MASÓNICA | UN ¨ALTO GRADO¨ DE ANTOLOGIA: ¨PACIFICADOR AMERICANO, PRINCIPE DE LOS TROPICOS”, GRADO 34º. | Por Amando Hurtado

"Vancouver Masonic Center Association" aguarda aprovação de um projeto novo

Mártir na Venezuela: O Polícia e Maçon Óscar Pérez enviou uma mensagem para o Mundo

«I’m a Freemason, and the discrimination against us has to stop»